Metropia: Premiere Mundial e mais…

metropia

Alex é a voz de Stefan

“Alguém está escutando seus pensamentos…
E se nada existisse, e estivessemos todos no sonho de alguém? Ou o que é pior, como se só o cara gordo da terceira fileira existisse?
Ser notado pode ser um fardo. Jesus foi crucificado porque ele conseguiu ser notado.”

Metropia ocorre em um futuro não tão distante. O mundo está ficando sem petróleo e os subterrâneos foram conectados em uma rede de metrô gigantesca sob a Europa.
Sempre que Roger de Estocolmo entra neste sistema que ele ouve a voz de um estranho em sua cabeça. Ele procura pela a misteriosa Nina para ajudá-la a escapar da perturbadora web do Metrô, mas quanto mais viajam, mais profundamente ele está envolvido em uma conspiração obscura.

Metropia terá sua premiere dia 3 de setembro no Festival de Filmes de Veneza.

Aqui vão algumas coisas ditas por Tarik Saleh (escritor e diretor de Metropia) sobre como veio a idéia deMetropia e sobre o paradoxo de privacidade:

Quando tinha 16 anos, li “O Processo” de Franz Kafka. Eu me lembro de ficar fascinado pela forma como ele construiu um mundo onde, como em um sonho, tudo faz sentido, quando na verdade nada faz. Onde tudo é conectado e lógico, mas completamente errado. Naquela história, K é a vítima de um sistema. Nesse caso, um sistema jurídico. Mas o sistema pode ser qualquer coisa. Como uma democracia funcional é um sistema. Então, imagine se você estivesse sendo pressionado por esse sistema, sentindo-se vulnerável com o jeito que isso funciona e corre, e você tem que começar a se perguntar. Se você está preso nessa situação, talvez você comece a pensar que VOCÊ é o problema, não o sitema.

O principal da história em Metropia é que Roger suspeita que há algo seriamente errado, que a linha foi cruzada e ele sai para obter provas para se certificar de que não há nada errado com ele. Um pensamento assustador, mas totalmente compreensível.Quer dizer, isso acontece comigo o tempo todo. Eu não posso confiar em mim mesmo. Estou constantemente sendo traído pelos meus próprios pensamentos. Ficando trancado na maneira de pensar que tenho que ser assim, “Tarik! Tarik! Pare. Não pense assim.” Só admitir isso me faz parecer louco.
Metropia é uma espécie de história de terror, com um cenário mais pessimista. E talvez isso aconteça com qualquer tipo de criação, um livro ou um filme, mas depois de um tempo, comecei a reconhecer coisas a partir do tipo de script acontecendo comigo. Quando um operador de telemarketing me ligou ou quando estava lendo o jornal e sendo tipo “Oh meu Deus. Estamos vivendo em Metropia.”

A vigilância está em toda parte: no entretenimento, política, no trabalho, em espaços públicos. E o paradoxo de querer a emoção de ver as pessoas fazendo coisas particulares, bem como a querer proteger-se de pessoas assistindo quando você faz coisas particulares. A maneira como muitas pessoas usam a internet é publicar coisas particulares para que todos possam ver. Respondendo pesquisas, atualizando o status de seu Facebook, etc. Esse paradoxo de privacidade novamente.

Se o governo me ligasse em casa e disesse: “Olá. Eu estou ligando por parte do governo, o que você está assistindo agora? ” seria um ultraje. Mas, se uma empresa privada de pesquisa telefona e pergunta o canal que estou assistindo, sim, talvez seja um pouco irritante, mas é inofensivo.

Nós diriamos para eles. Compreenderiamos a sua ambição.

Às vezes, quando eu imagino o que seria como viver em um tipo de sociedade Metropiana, eu acho que as pessoas atualmente iriam apreciar a “ajuda” com seus pensamentos de negócios. Tenho certeza que se você ofereceu à alguém dez pensamentos positivos, um dia, pessoas vão aderir à isso. É um bom negócio. Isso é o que o torna assustador de uma forma agradável, isso não é um governo ditatorial, como em 1984, exigindo obediência. É só uma empresa com uma boa idéia que pretende espalhar isso a tantas pessoas quanto possível. O espírito empreendedor. De forma lúdica querem apenas recolher as pessoas, levá-los a comprar a sua bebida. Eu trabalhei com publicidade e estou fascinado com o jeito culto, a importância quase religiosa construída em torno da identidade de uma empresa. A idéia de que é tudo como uma espécie de jogo, os empresários estalando os dedos e dizendo: “Você sabe o que seria ótimo? Não seria ótimo poder se comunicar diretamente com os pensamentos das pessoas?” E então, no acaso, os negócios são executados de um jeito impulsivo, eles só enrolam com isso. É tão encantador e assustador. E não é assim tão difícil de manipular os pensamentos de alguém. Especialmente o medo. É realmente fácil de obter o medo de alguém preso na minha cabeça.

As pessoas tentam e lamentam, dizendo: “Deus, isso deve ter sido a drenagem (desculpa meu inglês é mais ou menos e eu não consegui traduzir direito isso) de trabalhar neste filme por seis anos.” Mas eu amo isso, eu amo todo o processo. Eu poderia trabalhar em um filme durante dez anos! Não sinta pena de mim, eu ficaria triste se eu não estivesse trabalhando em um filme. Eu gosto de colaborar com as pessoas, e especialmente com este filme, com esta técnica de animação. Eu estava apto a trabalhar com pessoas com conhecimentos muito especializados, especialistas apenas naquele pedaço minúsculo, minúsculo do filme. E eles são artistas que geralmente amam o que fazem, e todos os pequenos detalhes importantes fazem algo maior do que grandes partes. A coisa toda é uma experiência. Todos os milhares de quadros individuais contam uma história.

É isso que eu amo sobre animação. Eu acho que isso é a forma mais expressiva de filme. Com animação você pode visualmente descrever como algo sentem não só como isso parece. Exagerar sutilmente e mexer com as perspectivas podem trazer um sentimento hiper real a alguma coisa. É como uma canção de amor. Você pode sentir a verdadeira emoção, mesmo se a letra for sobre alguém que você não conhece. Com animação, todo medo, frustração e desejo está lá, torcidos como um sonho, mas tão, tão real.

Tarik Saleh
Estocolmo, 27 de Agosto de 2009

Fonte: Alex Skarsgard Fans

Peço desculpas se algo ficou confuso, meu inglês não é dos melhores, mas eu tentei! haha

Atualização!
Vídeo prévia de Metropia!


4 Respostas to “Metropia: Premiere Mundial e mais…”

  1. Sucker For Vampires Says:

    mal posso esperar por esse filme! parece ser mtoooo legal!

  2. Bianca Momi Says:

    Siiiim! Parece ser MUITO bom, até esqueci de colocar o link do vídeo novo. Eu to doooida pra ver!

  3. Como faz pra baixar? Sou professor e integro a idiossincrasia de George Orwell em meu conteúdo programático. Caso haja algo responder no email: nutels.me@hotmail.com

    GRATO

    • Bianca Momi Says:

      Olá Lucas, o filme ainda não saiu! Quando lançar, em novembro, provavelmente você encontre pra download.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: